Bob Hoffman - Biografia

 

bob hoffman

“Um sensitivo que ajudava seus clientes a atingirem uma expansão de amor” Essa descrição de Bob Hoffman é do amigo e médico psiquiatra chileno, Cláudio Naranjo.

Segundo Naranjo, “ embora Bob fosse um talentoso médico de almas, o sucesso de seu trabalho não dependia apenas de seu ingrediente pessoal. Sua viagem terapêutica dirigida – um conjunto bem organizado de procedimentos, abrangendo a análise das primeiras experiências, ab-reaçôes e uso extensivo de imagens – me parecia uma concepção técnica que poderia ser mais desenvolvida e usada efetivamente por outras pessoas sem a sua habilidade psíquica.

Bob Hoffman, fundador do Processo Hoffman, tinha uma capacidade inata e altamente talentosa de ouvir verdades e sabotagens mais profundas. Fez de sua missão descobrir como ter mais amor no mundo e na vida de cada pessoa, e curar as feridas, que temos em nossos seres como resultado de não sermos amados incondicionalmente quando crianças.

Bob entendeu que, enquanto estamos crescendo, nós imitamos nossos pais para conquistar seu amor e atenção. Ao copiarmos seus humores, atitudes, crenças, expressões faladas e até mesmo movimentos corporais, aspectos fundamentais de nossos personagens se formam. O amor conquista todas as neuroses e, para Bob, a neurose fundamental era crescer sentindo-se indigno de amor.

O Processo Hoffman começou sua evolução no escritório de Bob em Oakland, Califórnia, em 1966. Ele começou pedindo aos clientes que escrevessem autobiografias emocionalmente carregadas de suas vidas, do nascimento até a puberdade. Então, ele olhou para os traços emocionais negativos de cada um dos pais biológicos e começou a desenvolver uma compreensão intuitiva da história emocional dos pais da pessoa. Isso ele denominou “Amor Negativo”.

Ele podia ver que os pais, quando eram filhos únicos, tinham adotado, sem querer, “traços negativos” e eram movidos por sua própria história emocional. Era possível, portanto, vê-los como culpados, mas não culpados. Esses entendimentos profundos levaram à experiência de perdão e compaixão pelos pais. Bob enfatizou que “todo mundo é culpado e ninguém é culpado” durante toda a sua vida.

Bob conduziu seus primeiros clientes por intermédio de uma série de (geralmente) 8 a 10 sessões de duas horas. Estas envolviam uma variedade de técnicas e exercícios catárticos projetados para ajudar as pessoas a curarem suas dores e alcançarem um lugar de amor incondicional. Eles aprendiam a usar ferramentas para quebrarem o hábito de comportamentos amorosos negativos e aprendiam exercícios de autoconsciência.

Bob cunhou o termo “Quadrinidade” para descrever todo o “ Eu”, que é composto por quatro aspectos: o Intelecto, as Emoções, o Corpo e o Espírito. Os participantes poderiam realizar a verdadeira cura e integridade, envolvendo todos esses aspectos e ajudando-os a trabalhar em harmonia. Uma estrutura de Consciência, Expressão, Compaixão e Perdão e Novo Comportamento nasceu e até hoje continua a ser a base de todo o ensino do Processo Hoffman em todo o mundo.

Seu livro, "Ninguém é culpado", foi publicado pela primeira vez em 1978 como uma introdução para ajudar as pessoas a entenderem como mudar os hábitos autodestrutivos. Quando John Bradshaw publicou seu primeiro livro “Bradshaw On: The Family” como um guia de autoajuda para aqueles que haviam crescido em famílias disfuncionais, ele recomendou enfaticamente o Processo Hoffman como uma forma de lidar com a “dor original da infância e voltar para casa”. Como este livro se tornou um best seller internacional e Bradshaw se tornou um orador popular, o trabalho de Bob também se tornou mais amplamente reconhecido.

Durante um período de 20 anos e com a ajuda de uma variedade de terapeutas, educadores e médicos, Bob construiu, lentamente, a estrutura do Processo como a conhecemos, hoje. Ele recebeu um grande apoio de Claudio Naranjo, um psiquiatra formado em Harvard, que também introduziu o eneagrama na cultura ocidental.

Bob acreditava que proporcionar um ambiente de retiro aos participantes do Processo permitiria aprofundarem suas percepções e mudanças pessoais. Em 1985, o primeiro processo de oito dias da Hoffman Quadrinity (como era então chamado) foi realizado em Sonoma, Califórnia.

Os anos se seguiram e o trabalho do Processo Hoffman , espalhou-se pelos Estados Unidos e daí para todo o mundo, com centros Hoffman no Brasil, Alemanha, Suíça, Austrália, Argentina, Canadá, França, Itália, Espanha e Reino Unido. Isso, por sua vez, levou à formação do Hoffman Institute International (HII), que foi criado para regulamentar e monitorar os padrões, a segurança e a entrega do Processo Hoffman em todo o mundo.

Vários livros foram escritos sobre o Processo Hoffman , incluindo Journey Into Love ( Viagem ao amor) by Kani Comstock & Marisa Thame; and The Hoffman Process and You Can Change Your Life, ( Você pode ser mudar sua vida) escrito pelo co-fundador do Hoffman UK,Tim Laurence.

Com centros afiliados Hoffman em 14 países, pessoas de diferentes modos de vida acreditam que o processo de imersão de 7 dias melhora a qualidade de suas vidas, seus relacionamentos e em suas carreiras.

Apesar do falecimento de Bob Hoffman em 1997, sua visão duradoura de trazer o amor e cura para a vida das famílias continua. “ Meu sonho ,ele disse” é que o trabalho será ainda reconhecido pelas comunidades científicas, que será reconhecido por líderes educacionais e que será colocado em programas educacionais.”

Mais de 100.00 pessoas já foram beneficiadas pela visão e trabalho de Bob. Muitas disseram após o processo, “ É o melhor presente que você pode dar a si mesmo”.
É também um presente para ser compartilhado entre famílias, amigos, colegas de trabalho, pois seus efeitos espalham e perduram ao longo dos anos.